The Undivided Wholeness Of All Things|Annihilation

Review:

Banda: Annihilation

Titulo: The Undivided Wholeness Of All Things

Editora: Nice To Eat You Records

Data de Lançamento: 28.Novembro.2017

Provindos de Almeirim, Santarém mas há muito hospedados na capital Portuguesa, os Annihilation transportam na bagagem o novíssimo segundo álbum de originais qualificado "The Undivided Wholeness Of All Thing".

 Rejeitando todos os lobbies de mercado desde 2004, a banda administrada pelo guitarrista/vocalista Fábio Silva certifica a vocação patenteada no último EP "The Undivided" (2014) com um som fundamentado e compacto como uma parede de betão.

 Este segundo álbum de estúdio é heterogêneo e complexo, mas não consome a serenidade do receptor. As soluções rítmicas são profundamente sortidas, beneficiando acidentalmente dos impetuosos blast beats. Liricamente influenciado pela visão do mundo do escritor e orador Britânico David Icke, os quarenta e dois (42) minutos de "The Undivided Wholeness Of All Thing" são iluminados por grunhidos afigurados com guturais ultra-graves.

 A fazer lembrar os tempos áureos dos Death do malogrado Chuck Schuldiner devido á perícia técnica e rigor cirúrgico, os Annihilation imortalizaram um trabalho notável prontamente análogo com o que de melhor existe além-fronteiras. Altamente recomendado!!!

Pontuação: 8,0/10

Autor: Sara Vanessa

Editor: Mário Filipe Pires