Flagellum Dei em entrevista

Flagellum Dei em entrevista

Texto: Cátia Godinho

Fotos: Banda

Tendo como epicentro da sua vida e inspiração Satanás, Flagellum Dei há muitos anos que andam a espalhar a sua Praga cheia de ódio, blasfémia e alma.

Black metal puro desenterrado  do inferno e nascido em terras Lusitanas.Tivemos com o seu criador D.Sabaoth para conhecer o novo trabalho '' Lord Diabolus Throne", e saber um pouco mais sobre o submundo de F.D.

 

  1. Longos são os anos a fazer história no underground português, notas que Flagellum Dei são uma banda com o reconhecimento merecido? Ou ainda denota-se distanciamento das pessoas face ao Black Metal?

D.S (D.Sabaoth).: Saudações Cátia!

Antes de mais quero agradecer a oportunidade que nos dás para espalhar a nossa praga por estes caminhos da escuridão através do Som do Rock.

Eu, pessoalmente não dou muita importância ao que as pessoas acham daquilo que faço em relação  a Flagellum Dei. Já há algum tempo que tudo é gerado em torno da banda, somente quem está em F.D é importante e é deles que espero reconhecimento pelo trabalho que faço para a banda, tal como eu reconheço inteiramente o deles.

Já lá vai o tempo em que me importava demasiado com o que as pessoas pensavam.

Se a banda é reconhecida ou não, não sei, e muito honestamente não dou nem vou dar muita importância a isso. Irei apenas focar-me em trabalhar os novos tormentos para o novo álbum juntamente com os meus irmãos de armas, pois o sentimento vai ser o mesmo dos primórdios, e sempre com o espírito underground  na nossa  mente.

É assim que lidamos com o nosso Black metal! 

Se as pessoas se distanciaram do Black Metal? Eu acho que não, apenas são como o velho típico português , estão a cagar-se... e adivinha, nós também.

Quem quiser apoia , quem não quiser não apoie. O nosso Black Metal é feito para bárbaros e não para pessoas comuns.  Para esses até aconselho que se afastem da ira de Satanás!!

 


  1. Para que os leitores do Som Do Rock fiquem a conhecer-vos, a conhecer a vossa história. Quem são os Flagellum Dei? Quem vos inspira e como tem sido a vossa caminhada pelo mundo do metal?


D.S.: Nós somos apenas a sombra daquele que assombra os nossos pensamentos, que nos motiva e que nos faz espalhar a Praga em seu nome.

A nossa caminhada tem sido vasta, vasta demais para descrever aqui.

Apenas te digo que os caminhos foram escuros e guiados sempre pela mão de Satanás, ele é a nossa inspiração na escuridão, aquele que nos guiará por entre trevas e caminhos espinhosos, o  nosso caminho é este desde o inicio.

  


  1. Variadíssimos são os trabalhos, sempre a rasgar no Black metal, com imensas participações especiais em splits. O que sentem ao preparem um novo som, o que significa pessoalmente e profissionalmente criar música?

D:S.: Para este novo álbum, "Lord Diabolus Throne" foi complicado derivado à distância a que nos encontrávamos e encontramos, mas com muito esforço lá conseguimos gravar as músicas, depois o restante trabalho foi todo da Lusitanian Music, e devo dizer que se não fossem eles, a nível de lançamento, este trabalho nunca teria sido o que é.

Este álbum foi inteiramente composto por mim à excepção da voz e baixo, coisa que já não vai acontecer no próximo álbum. Este já vai quase composto, mas desta vez vai ser ensaiado pela banda no seu todo  e deixa-me acrescentar que estou muito ansioso e entusiasmado  para o começar a fazer, não só pelo facto de podermos acrescentar novas ideias ao trabalho que foi feito, mas também por começar a tocar novamente em conjunto com grandes músicos e amigos de longos anos. 

Criar música para mim é como o respirar, não me imagino sem isso na minha vida, ainda para mais agora com o line-up da velha guarda, só fico ainda com mais pica.

Os old Flagellum Dei estão de volta! 

 

 


  1. De onde advém a vossa inspiração? Em que se baseiam em termos de ideias e ideais para completar o vosso som e o vosso ser?  

  2. S.: Considera esta pergunta respondida a cima na segunda questão.

Vou só acrescentar uma coisa :

Flagellum Dei supports nothing but darkness...!!! 

 

 

  1. Temos em mãos o novíssimo "Lord Diabolus Throne". Como decorreu a criação e evolução das ideias para este álbum?

  2. S.: Tudo correu bem, as músicas saíram-me bem, todas elas. As ideias foram sempre surgindo naturalmente de forma fluída, e acho que no fim conseguimos fazer um álbum com bons rifs, a fluir bem entre ambientes bárbaros em alguns momentos e obscuro noutros. Era essa a intenção.

 

 

  1. Quais os valores e a mensagem que querem transmitir com a vossa arte?
       Principalmente, qual a temática primordial do presente trabalho?
  2. S.: Ódio, blasfémia e trevas! 

 


  1. Quem trata da parte do som e quem escreve as letras? Fala-nos do processo de realização/produção deste trabalho até ser editado.

  2. S. : No processo de criação das letras é o vocalista, Nefastus, que geralmente tem a mensagem de F.D nas suas palavras.

No processo de criação musical, compus sozinho a guitarra e bateria, que depois foi gravada no porto, por Zargos, que já não está a tocar connosco.

O baixo e voz foram gravados por mim em Lisboa.

Depois foi uma questão de juntar tudo e enviar com a melhor qualidade possível para o grande Sérgio Prata, para mixagem e masterização , foi basicamente isto,  assim nasceu o '' Lord Diabolus Throne ". Na minha opinião, o melhor de Flagellum Dei até à data. 


  1. Como está a decorrer a promoção ao vivo do trabalho? Quais as datas já marcadas para concertos e convites que estejam em cima da mesa?

  2. S.: Infelizmente, actualmente não estão reunidas as condições necessárias para a realização de concertos, muito devido á distância a que nos encontramos. Infelizmente não há muito que possamos fazer em relação a este assunto.

O pouco que vamos conseguir fazer será ensaiar o melhor possível para a gravação do próximo álbum. Eu muito honestamente, já não lido da mesma forma em relação a concertos ao vivo, salvo raras excepções, como foi o caso do concerto dos 20 anos de Corpus Christii no início de Junho, e só fizemos este tremendo esforço porque o convite veio dos próprios C.C.

Os F.D irão permanecer afastados dos palcos por algum tempo.

 


  1. Que reacções têm tido do público a este "Lord Diabolus Throne"?

  2. S.: Pelo que sei, acho que o pessoal gostou.

Tenho pena de não ver mais '' Lord Diabolus Throne" por esse underground, mas é assim mesmo a "cena".

 


  1. Imaginam-se a editar trabalhos e a tocar ao vivo ainda por muitos e bons anos?
  2. S.: Claro que sim! Enquanto houver vontade, dedicação e gosto pelo que se faz, claro.

Quanto a concertos, não sei como será, porque, muito honestamente, prefiro guardar as energias para o que realmente nos interessa, que é gravar discos, que por si só já vai despender de um grande esforço.



  1. O que poderemos esperar dos F.D num futuro próximo? Alguma novidade que podemos ficar a saber?
  2. S.: O que posso adiantar é que o próximo álbum está composto, agora é pôr todas as ideias em prática e ver como resulta em conjunto.

O resto ao futuro pertence.

 


  1. Gostariam de deixar uma mensagem para os nossos leitores?
  2. S.: Não há muito mais a dizer, apenas continuem a apoiar a "cena" e todas as bandas que por cá tocam e fazem do underground nacional o que ele é actualmente, que na minha opinião a nível de Black Metal, tirando algumas piadas que por aí andam, está fortíssimo!

E o “Lord Diabolus Throne” claro, ainda há algum material, tanto CD como LP para venda! Sim, porque apoiar o underground não é ficar à espera de prendas.  

Está à venda na Lusitanian Music e pela banda também. Não é difícil de encontrar. 

FLAGELLUMDEI666@gmail.com 

Mais uma vez obrigado pela oportunidade. 

AGAINST ORDER WE MARCH, TO RULE IN CHAOS!!! 

 

Cátia Godinho “Caos”