Entrevista a Sonneillon BM

Entrevista a Sonneillon BM

Entrevista de :Lígia Ferreira

FOTO: Facebook da Banda

Hintf: Obrigada pela entrevista, é um prazer falar convosco! Este ano marca o aniversário da primeira década da banda... Irão fazer algo especial para marcar a data? Uma edição especial, ou uma festa ou concerto para celebrar?

Em Abril fazemos 10 anos de banda. Vamos celebrar esta data importante com um novo ep, um concerto e, se tudo correr como previsto, um novo dvd.

Hintf: Como surgiu a ideia para o nome Sonneillon BM?

Para falar do nome é preciso falar um pouco da história da banda. Bellerophon começou o trajecto em 2004 com Open Grave, formando a seguir Ater, onde tocava já com o guitarrista Cariocecus. Após a separação da banda, decidiu criar uma nova banda em 2007, recrutando Ishkur para a mesma. Este tinha um projecto solo em estado inicial, Sonneillon, já com logotipo e inícios de músicas criados, que acabaram por fazer parte do EP de estreia da banda (War e Feeding the Corpse). Sendo um conceito e estética musical que se adaptavam ao que Bellerophon queria para a nova banda, optou-se por fundir as duas entidades. Especificamente, Sonneillon é o demónio bíblico do ódio, um dos comandantes das hostes infernais.

Hintf: Desde o início da formação houve algumas mudanças no alinhamento, de que forma isso afectou o funcionamento da banda?

Nunca afectou o funcionamento da banda. Todas as mudanças funcionaram como uma evolução. Mais recentemente, o regresso de Ishkur à banda deu mais força; recrutar Apollyon, um músico já do old-school, trouxe mais ainda o espírito dos 90s à banda; e o regresso de Grimur Hrukjan à banda trouxe por sua vez a irreverência e o entusiasmo da nova geração fiel às raízes daquilo que é o black metal.

Hintf: Como sentem que foi a vossa evolução como músicos e banda ao longo desta década?

Os percursos pessoais de cada um dos membros é bastante distinto. No entanto, aquilo que é comum a todos é que a evolução musical e pessoal nunca parou. Esta ausência de estagnação acaba por ter um impacto na evolução da banda como um todo e de cada um no seio da mesma. Seja quem já vive o black metal há mais de 20 anos, seja quem o descobriu mais recentemente , tem uma ligação visceral ao estilo que acaba por se reflectir na banda como um todo. Seguindo o seu percurso, as suas mudanças e evolução, a banda serviu como pano de fundo para a evolução e amadurecimento musical de todos os membros, e isso reflete-se também na evolução musical e de complexidade da nossa música. A banda evolui com os seus membros, e cada um dos membros e cada um evolui com a influência dos outros.

Hintf:De momento estão a gravar um novo EP, o que nos podem adiantar sobre ele?Data de lançamento prevista...temas abordados...O que podem os fãs esperar?

Data prevista de saída será finais de Abril. Este EP é, para nós, o melhor lançamento da banda, e é uma demonstração da nova direcção, sendo um reflexo da química da nova formação, E retoma o conceito inicial de criar black metal extremo, sempre com influências de death metal. De alguma forma recupera o espírito da formação, elevando a complexidade musical a um novo nível para a banda.

Hintf: Estão também a compor o vosso próximo álbum, irá seguir a mesma linha de Daemoniacus- Daemonum Interitum Et Agone Deos ?

Tal como respondido anteriormente, a banda evolui, e a sonoridade amadurece. Daemoniacus é um marco na história da banda, mas o EP novo será de facto o melhor indicador do futuro.

Hintf: Irão marcar presença em algum festival este ano? Há algum concerto marcado para breve?

O primeiro concerto agendado será dia 30 de Maio no Metalpoint, tocar de novo com bandas que partilharam os palcos connosco nos Estados Unidos. Como estamos em processo de composição do novo material, estaremos totalmente dedicados a esse processo, e os concertos serão muito provavelmente em número mais reduzido e apenas em ocasiões especiais.

Hintf: Alguns membros da banda estão envolvidos em projectos paralelos, falem-nos um pouco sobre eles, para quem ainda não conhece...

Todos os membros estão dedicados em primeiro lugar a Sonneillon. Os projectos pessoais têm uma existência à parte e não interferem com a banda.

Hintf: Se pudessem partilhar o palco com qualquer artista vivo ou morto, quem escolheriam?

Bellerophon: euronymous (mayhem)

Apollyon: quorthon (bathory)

Grimur hrukjan: jon nodveit (dissection)

Ishkur: ihsahn (emperor)

Hintf: O que pensam do cenário do black metal nacional?

É a verdadeira hipocrisia. Não nos identificamos com o cenário no seu todo. Nutrimos respeito por determinadas bandas que sabem quem são, e por todos aqueles que apoiam e acompanham o nosso trabalho.

Hintf: Gostariam de deixar uma mensagem aos nossos leitores?

A raíz e a alma de todos o membros é o black metal. Todos sentimos orgulho imenso em integrar esta banda, e partilhar o percurso com os restantes membros. A história sempre foi feita de quem persevera, contra ventos e marés, e todos estamos a carregar a bandeira de Sonneillon com orgulho e dedicação.

Não esperem de nós nada mais que honra e verdade no que fazemos. Honra e valor.

Obrigada pelo vosso tempo!

 

Esta entrevista é uma parceria entre o Som do Rock e a Hintf WebZine