Entrevista á banda Māra de Riga,Latvia

Entrevista á banda Māra de Riga,Latvia

Hintf: Obrigado por responderem à nossa entrevista! Quais as vossas expectativas quando tudo começou?

Māra: De nada Miguel. Obrigado por perguntares! Nós começamos com a ideia de ser a maior banda de metal de toda a história da música! Haha, não, nós começamos para ver se as pessoas se conectavam à nossa música. E, não podes ter nenhuma expectativa realista em relação a isso.

Alberts: Exactamente, quando começámos, tínhamos zero expectativas (apenas direccionar e precisar criar algo muito poderoso e com significado) tínhamos conhecimento apenas sobre cada um dos membros atuais da nossa banda, que todos eles são músicos profissionais e personalidades muito fortes, nós queríamos ver como essa idéia insana e súbita funcionaria, porque realmente foi uma decisão súbita, para fazer essa banda (Māra) ganhar vida, pelo simples pensamento, uma das razões para formar essa banda foi a nossa paixão por música de boa qualidade e performances ao vivo. Então, quando nos encontramos com outros membros na vida real, instantaneamente sentimos uma incrível química entre nós, tudo era natural, artisticamente e emocionalmente, sentíamos um laço entre nós, então simplesmente não conseguíamos parar.

Dmitry: Eu pessoalmente também não espero nada, sempre que as tuas expectativas não se encontram com a realidade, tu sentes-te mal, mas é a tua imaginação, o mundo real é diferente. Para mim, era o último projeto em que eu queria participar, e o meu objetivo é apenas tocar em concertos ao vivo enquanto desfruto desta experiência.

Deniss: Olá Miguel.Além disso, posso dizer como tudo começou. Eu vi um vídeo com Māra Lisenko ao vivo, como convidada, com a nossa banda local Preternatural e depois desse vídeo eu percebi que ela seria a cantora perfeita para o meu projeto. Eu tinha imensas ideias, que eram um pouco diferentes da minha banda TRENDKILL METHOD, era por isso que eu estava à procura de outra coisa. Então, eu fiz uma chamada ao marido dela, Dmitry que é um baixista bastante conhecido e fiz algumas perguntas sobre o estilo de cantar de Māra, e claro, interesse em fazer algo comigo. Ele disse-me que ela também estava a pensar em banda de metal e que estaria mais do que OK para fazer algo comigo. Eu escrevi-lhe uma carta e enviei alguns rascunhos das minhas músicas. Ficou impressionada com o material e decidimos tentar alguns ensaios. Após o primeiro, percebemos que somos uma banda. É tudo.

Hintf: Porquê o nome Māra? O que significa?

Dmitry: Māra é o nome da nossa vocalista.

Alberts: Sim, Māra- primeiro que tudo é o nome da nossa incrível vocalista. Pessoalmente, também significa Justiça, Athena, força Luminosa que consegue ver o mundo real sem vendas, de onde adquire sabedoria e expressão de tudo o que rodeia as nossas vidas até hoje.

Deniss: Deusa na mitologia da Letónia.

Māra: Māra é um nome de menina letão muito poderoso, pois vem da deusa letã como Denis já disse. Força feminina forte como a deusa é, ela reflete bem em nossa música poderosa, assim como destaca nossas raízes e origens, de onde todos nós viemos e que também adiciona uma poderosa força a todos nós.

Hintf: Quais são as principais diferenças de agora para quando vocês começaram?

Alberts: Nós crescemos, a nossa conexão tornou-se ainda mais forte que antes, começámos a entender o que cada um de nós quer com a banda, como vemos e ouvimos as coisas e para onde devemos ir de agora em diante.

Deniss: Mesmo, agora todos nós sabemos o que queremos eonde pretendemos chegar. O ano passado foi apenas uma simples tentativa de fazer músicas, mas agora somos uma banda a sério.

Māra: Estranhamente, e embora eu seja musico há 15 anos, com esta banda eu ainda me vejo como principiante, porque a nossa banda ainda nem um ano tem. Somos ainda bebés a tentar aprender a falar e a andar. Eventualmente nós cresceremos e seremos grandes. Nós temos muita energia e muita determinação, estamos prontos para rebentar com tudo. Assim, posso dizer que temos tudo à nossa frente.

Hintf: O que influencia a vossa música e letras?

Alberts: A nossa própria visão e o que sentimos sobre diversos assuntos que estão em nossas canções, algo que dói, injustiça no mundo, como nós ameaçamos nossa própria espécie, a loucura que está escondida atrás da cortina e fechada pela mão de mestres de marionetes, ignorância nas acções dos da nossa espécie, noite escura da alma.

Dmitry: A música é autoexpressão, e eu vejo como o mundo está fodido, como tudo é convertido em ferramenta de troca e atenção. Isso é o que me influencia como artista, quebrar essas regras, pelo menos com esta arte.

Māra: Eu sou influenciada pela vida. Tão simples e clichê quanto isso. Todas as minhas letras são meio autobiográficas. Eu nunca escrevo sobre coisas de ficção, apenas sobre algo que experimentei em minha própria pele. Eu reflito muita negatividade sobre questões sociais, mas também tento dar sugestões positivas, possíveis soluções e encorajamento de que somos poderosos o suficiente para mudar as coisas a um nível pessoal, bem como em escala global.

Hintf: Que tipo de metal se consideram?

Dmitry: Apenas Metal

Deniss: Eu diria modern thrash/death

Māra: Na nossa banda temos diferentes influências de metal e colocamos todas na mesa: Eu sou mais death metal, o Denis é thrash metal, Dmitry é fã de groove metal e Alberts é de black metal. Assim, conseguem ouvir todas as quarto influências na nossa música. Então eu diria death / thrash / groove / black em um molho moderno e melódico J

Alberts: Não sei o tipo, mas baseamo-nos em emoções e colocamos essa energia em palco, para as pessoas sentirem e entenderem que energia é tudo.

Hintf: Por favor, contem-nos sobre a vossa discografia…

Māra: Não temos discografia até à data. 

Alberts: Presentemente estamos a trabalhar no nosso EP “Therapy For An Empath”, este será o nosso primeiro álbum.

Deniss: Até agora temos um vídeo editado (“Sell Your Soul”) e dez canções que tocamos ao vivo. O nosso plano é lançar uma EP de 5 músicas até ao final de Novembro.

Hintf: Contem-nos mais sobre a cena musical em Riga, Letónia…

Alberts: Existe uma cena musical, mas é pobre, existem opções limitadas que cercam a cena metal na Letónia e piora a cada ano que passa. Teos algumas bandas e temos algumas pessoas que vem aos concertos, mas o montante é hilario. 

Dmitry: Não acontece muita coisa, não há muitos clubes, o publico em geral não se interessa muito por bandas locais e em especial no metal underground.

Māra: Falando sobre a cena musical na Letônia, temos que considerar que o nosso país é muito pequeno - a população é de cerca de 2 milhões de pessoas, não temos grandes amigos influentes – países a apoiar, então estamos basicamente sozinhos. A cena da música pop está a prosperar em todos os lugares, mas para os músicos alternativos é muito difícil sobreviver, então verias muitas bandas a separar-se ou ir para o estrangeiro. Foi Isso que eu e o baixista Dmitry fizemos - agora vivemos na Alemanha. Só porque há mais oportunidades de música alternativa aqui.

Deniss: Na verdade, temos cerca de 5 bandas de metal de grande nível. Mas todos são veteranos e eu não vejo nenhuma banda nova interessante no momento em LV. As bandas que eu te falei são Skyforger, Preternatural, Neglected Fields, Trendkill Method e Sanctimony.

Hintf: Quais são os planos para o futuro?

Māra: Num mês vamos lançar o nosso Segundo vídeo musical e single intitulado “Label Me Insane”. No final de Novembro vamos lançar o nosso EP de estreia e fazer uma mini-tour . 4 concertos na Letónia, Lituânia, Polonia e Estónia. Depois vamos tentar alguns concertos na Alemanha, esperamos fazer uma turné de apoio a bandas mais famosas e agendaralguns festivais de musica para o próximo verão. Não temos gestores, nem agentes. Estamos a fazer o melhor que podemos por nós mesmos.

Deniss: Vamos tentar fazer o melhor possível em relação à musica, mas não podemos fazer planos porque, é um negócio, negócio de musica. Boa sorte e eventualidade é agora mais importante do que as ótimas musicas e qualidade de gravação. Infelizmente.

Dmitry: Tocar em concertos e festivais. Esse é o meu único desejo e o que me motiva. Só para ter essa experiencia de vida, longe das redes sociais e PC’s. Estar em palco. 

Alberts: Queremos causar impacto, queremoscompletar o nosso álbum, queremos tocar nas maiores cenas de musica metal do mundo, queremos espalhar a nossa energia para as pessoas que gostam de musica metal,para sentirem-se livres de cada vez que nos ouçam a tocar.

Hintf: Imaginem que estão a gravar um novo álbum e podem escolher quem quiserem para convidado especial, quem escolhiam?

Dmitry: Eu escolheria Tom Morello ou todos de Prophets Of Rage

Deniss: Peter Dolving (ex cantor dos Haunted)

Māra: Max Cavalera nos anos 90. Caramba, preciso de uma máquina do tempo !! Nos dias de hoje escolhia a banda  “Aborted”.

Alberts: Derrick Green (Sepultura)

Randy Blythe (Lamb of God)

Corey Taylor (Slipknot)

Sven de Caluwé (Aborted)

Hintf: Por favor, definam Māra numa palavra…

Deniss: POWER

Alberts: Energia

Dmitry: Seres Terrestres

Māra: Loucura. Vamos por estas palavras numa frase:

A loucura alimentou a energia terrestre. Nada Mau!!

Hintf: O que sabem sobre Portugal?

Māra: Eu sei que vocês usam muitos sobrenomes. Especialmente as mulheres casadas, elas conseguem ter sobrenomes dos antepassados assim como dos antepassados do marido. E no final tens uma lista longa de nomes para uma pessoa só. 

Alberts: A livraria mais antiga do mundo é na capital de Portugal.

Dmitry: Vocêstem um clima ameno e paisagens costeiras extraordinárias.

Deniss: Muitas coisas, especialmente zonas históricas e o futebol, claro J

Hintf: Gostariam de deixar uma mensagem aos vossos fans em Portugal?

Deniss: Fiquem metal ou morram!

Alberts: Estejam prontos, sejam parte de nós e obrigado a todos por apoiarem a nossa banda! Somos gratos a todos e cada um de vocês

Māra: Nos média, muitas vezes me perguntam “Quando é que vêm a Portugal?” A minha resposta é – Faremos o melhor para ir ao vosso belo e ensolarado pais levar a vocês um pouco do metaldo norte! Nós realmente gostaríamosmuito! Espero que isso aconteça muito em breve.

Dmitry: Saiam, sejam reais, Vivam a vida. Experimentem momentos. Só o tempo é importante e como vocês o vivem.

Māra: Obrigado pela entrevista Miguel! Gostámos muito! m/