Aernus, um exclusivo da Underground's Voice!

AERNUS

 

Esta entrevista é um exclusivo da Undergound´s Voice , Foto de Rute Pascoal

U.V - Antes de mais, bem vindos à Underground's Voice, é um prazer vos receber! Para quem não vos conhece, podem-se apresentar?

AERNUS.Obrigado nós.Somos uma banda de Death-Metal progressivo da Moita,começamos no final de 2008 e de momento temos um ep e um album que lançámos recentemente chamado “Homorretrocessus”

U.V - Como surgiu o nome para a banda?

AERNUS-O nome da banda vem de um nome de um deus Celtibero(Português)que esta relacionado com a natureza,os ventos etc

U.V - Contam com um álbum "Homorretrocessus" lançado. Como o definem?

AERNUS-Basicamente o álbum é o resultado de vários anos de trabalho da banda,um resultado de experiências,conhecimento e aprendizagem a nível musical e não só por parte dos elementos da banda que de uma forma experimental ou progressiva foi sendo composto de uma forma natural e sem obrigações,a nível de estilo ou de género na sua base,basicamente um som
experimentalista.

U.V - Como foram os seus processos de composição/gravação?

AERNUS- A composição tal como já referimos anteriormente é feita de uma forma natural,sem obrigações de estilos ou vertentes musicais em concreto,basicamente é um processo criativo livre e espontâneo que depois é aprimorado e melhorado até resultar no produto final.A gravação do álbum foi feita e captada pela banda,sem elementos externos e sem pressas,naturalmente.

U.V - Que feedback têm recebido dos fãs e críticos e este vosso trabalho?

AERNUS- Algumas boas criticas e reviews,mas de momento é que começámos a promover e divulgar o trabalho,ainda estamos a espera de feedback a respeito do álbum.

U.V - Conseguem apontar algumas diferenças entre o "Homorretrocessus" e o vosso EP "Spiritual Quest"?

AERNUS- O EP foi basicamente o inicio da banda,muito experimentalismo,mas com um som ainda um pouco indefinido a nível do som”AERNUS”,no álbum “Homorretrocessus” a banda já está mais madura,com mais experiência e capacidade a nível musical,além de com processos mais aprimorados e mais conhecimento e maturidade a nível individual e no conjunto.

U.V - Quais são as vossas principais influências e que assuntos abordam nas vossas letras?

AERNUS- Influencias poderemos dizer que tudo o que é musica poderá ser vista como uma influencia,visto não sermos uma banda que se caracterize por um só estilo ou vertente musical,embora o aspecto Death-Metal seja o mais evidente,tentamos colocar em pratica tudo o que possa ser interessante ou relevante a nível musical,mas de uma forma descontraída e sem obrigações em concreto.A temática das nossas letras tem um factor social e ao mesmo tempo da natureza e do nosso planeta,uma critica ou opinião a respeito da nossa sociedade e da nossa interação com a natureza e de tudo o que nos rodeia.

U.V - Como está a vossa agenda neste momento?

AERNUS-De momento temos algumas propostas e um concerto já agendado,mas estamos abertos a propostas ou convites,ou seja,com a promoção esperamos começar a tocar mais e com mais regularidade se tudo correr bem.

U.V - Como olham para a qualidade da música feita em Portugal e os apoios que as bandas tem (ou não) disponíveis para gravar e tocar ao vivo?

AERNUS-A qualidade da musica feita em Portugal penso que será igual ou semelhante á que é feita lá fora.Quanto a apoios que as bandas tem para gravar e tocar ao vivo são praticamente nulos,existe a filosofia de tocar por uns copos,locais que querem que as bandas toquem de borla para terem casa cheia e lucrar com os copos,não existe uma forma de agir e recompensar quem toca e gasta dinheiro,dedicação e tempo para tocar ao vivo.Ao mesmo tempo a economia nem permite nem a mentalidade das pessoas que tem locais para se tocar ao vivo dá para grandes “Recompensas” para quem toca,era bom que algo fosse feito para alterar estas situações,mas é dificil.

U.V - Sentem que a ausência de público em grande parte dos concerto/fests de bandas nacionais impede uma evolução/reconhecimento mais rápido das nossas bandas?

AERNUS- Existem muitas bandas,umas boas outras nem por isso,as melhores ou mais conhecidas pedem cachet como é óbvio,e nem todos os locais estão dispostos a pagar,portanto tocam menos vezes do que seria o ideal,depois existem bastantes bandas que so estão a espera de uma oportunidade para tocar ao vivo,e na maioria das vezes,de graça e com prejuízo para os mesmos.O resultado é por vezes cartazes com bandas de fraca qualidade e com talvez um cabeça de cartaz mais conhecido etc,o que não chama muitas pessoas a ir,mais os amigos etc quando é perto de casa,uma situação que penso que todos conhecemos.Se forem várias bandas mais conhecidas e com mais qualidade e que peçam cachet para um mesmo concerto são raros os sitios ou iniciativas que possam organizar algo 100% Português porque..não há guita.

U.V - Por fim quero agradecer mais uma vez a disponibilidade para a entrevista e desejar tudo de bom para a banda! Últimas palavras para os leitores da Underground's Voice?

AERNUS-Nós é que agradecemos á Underground’s Voice!Se for possivel passem pelo nosso facebook e vejam ou ouçam os nossos temas se tiverem possibilidade,um abraço e stay true!